A SIBS lançou o relatório SIBS Market Report que, pela primeira vez, divulga os dados reais do sector dos pagamentos. Dedicado ao comércio online, conta com o prefácio de Vítor Bento, Presidente do Grupo SIBS, e a participação de Daniel Bessa, Director-Geral da COTEC, e de Alexandre Nilo da Fonseca, Presidente da Associação do Comércio Electrónico e Publicidade Interactiva (ACEPI).

O documento apresenta um conjunto de dados sobre o panorama real dos pagamentos eletrónicos em Portugal, enquadrando o comportamento dos consumidores relativamente às compras online (pagamentos electrónicos não presenciais), nomeadamente sobre as compras efetuadas a partir de Portugal, com cartões emitidos em Portugal, montantes e destinos dessas compras.

De acordo com os dados do estudo, as compras online dos Portugueses são ainda marginais face ao total de transações e circunscrevem-se a um nicho da população portuguesa – apenas 1.2% do total de compras pagas com recurso a cartão bancário decorrem de compras efectuadas online. Apesar de ser um valor reduzido, verifica-se uma evolução notória se tivermos por referência os dados de 2007 (0.7%). Em comparação com a União Europeia, também a taxa de crescimento portuguesa tem sido superior à média (20% contra a média da UE-27 que se regista nos 12%).

O valor médio das compras online é superior ao dobro do valor médio das compras presenciais. Este factor é facilmente compreensível quando se verifica que há muitas compras online de viagens e pacotes de férias que têm um valor unitário elevado – segundo o relatório é possível verificar que as compras online efetuadas em companhias aéreas apresentam um valor médio de 235 euros e as compras em agências de viagens apresentam um valor médio de 222 euros.

Segundo os dados apurados pela SIBS, a maioria das compras é realizada em sites estrangeiros, sobretudo no Reino Unido, Luxemburgo, EUA e Irlanda, países em que se localizam os comerciantes líderes em vendas online.

Além da aquisição de viagens e pacotes de férias já referida, também se verifica que as compras online dos portugueses incidem em produtos de cultura, como livros e música; as compras em sites de música, por exemplo, correspondem a 8,1% das transações.

As compras online apresentam uma tendência irreversível de crescimento a nível global. Portugal não é excepção e tem acompanhado esta tendência de forma positiva, como verifica pelos dados da SIBS comparados com a média da União Europeia.

A generalização do acesso à Internet em Portugal constitui um indicador revelador do potencial de crescimento das compras online, pois o desenvolvimento da tecnologia induz alterações nos padrões de vida e a modificação dos processos de compra, que gradualmente incorporam a componente online.

De destacar ainda que as compras online poderão crescer a um ritmo mais rápido com a adopção generalizada da tecnologia de pagamentos móveis, sector em que a SIBS tem investido para disponibilizar novas soluções à medida das necessidades. Composto por sete empresas, o Grupo SIBS processa anualmente mais de 2,4 mil milhões de operações – são mais de 200 operações por segundo o que lhe confere uma visão global e ímpar sobre o sistema de pagamentos nacional.