O setor da saúde aborda o marketing com alguma resistência, o que é perfeitamente compreensível, dadas as limitações impostas por lei à publicidade à atividade. Apesar dos benefícios do marketing digital, reconhecendo que as pessoas passam horas a pesquisar sobre temas de saúde e bem-estar, existem razões relevantes para ter de abraçar o digital com uma estratégia bem traçada.

Os profissionais de saúde lidam com a vida e a morte. Os desafios e a responsabilidade são imensos.

A legislação impõe diversas restrições na prestação de informação e promoção de serviços e produtos. É uma indústria altamente regulada (Entidade Reguladora da Saúde) e com legislação bem definida. Por exemplo, a 1 de novembro de 2015 entrou em vigor o Decreto-Lei n.º 238/2015, que estabelece o regime jurídico das práticas de publicidade em saúde.

A privacidade e a confidencialidade dos pacientes é uma barreira. Por exemplo, um simples cloud system levanta inúmeras questões no armazenamento de informação dos pacientes.

Esta situação aplica-se tanto numa lógica de comunicação entre as entidades prestadoras de serviços de saúde e a indústria farmacêutica junto dos consumidores (B2C), como numa vertente mais B2B, com as empresas que comercializam e distribuem equipamentos e consumíveis às entidades de saúde e cuidados.

A nova realidade digital e a saúde

Os hospitais públicos e privados, clínicas privadas, laboratórios e consultórios enfrentam muitas particularidades, mas também estão integrados numa nova realidade – a digital. Os profissionais de saúde e os utentes passam grande parte do tempo “online”.

Novos desafios têm surgido:

1) Os utentes pesquisam cada vez mais por serviços e produtos. Procuram por testemunhos nas redes sociais ou nos fóruns sobre um dado médico e / ou entidade antes de decidir onde se dirigir.

2) Os consumidores atuais esperam conseguir marcar uma consulta através do telemóvel ou saber como se chega às instalações através do GPS, pelo que se deve tornar a vida das pessoas mais fácil no mobile.

3) Os pacientes estão cada vez mais informados e já não aceitam cegamente todas as recomendações de médicos ou enfermeiros. Procuram as melhores soluções para os seus problemas e analisam todas as opções.

4) Os novos profissionais de saúde já são nativos digitais. Utilizam diariamente o smartphone ou o tablet. Saber potencializar esta realidade e trazê-la para a prática clínica pode revelar-se uma mais-valia.

Razões para o sector da saúde avançar com estratégia de marketing digital

Ter uma presença online atual e segura já não é uma opção. É uma necessidade para todas as unidades de saúde que pretende manter-se competitivas e continuar a prestar um serviço de excelência.
Fique a conhecer 3 razões principais para avançar com uma estratégia de marketing digital:

#1 – Site responsivo

No mundo já existem mais dispositivos móveis do que pessoas. E o crescimento não dá sinais de abrandar. É através do telemóvel, tablet e computador que os utentes pesquisam informação para os seus problemas. É imprescindível ter um site responsivo que se adapte a todos os dispositivos, seja user-friendly e proporcione uma experiência única de navegação. Toda a estratégia de marketing digital passa por um site completamente otimizado.

#2 – SEO para ser encontrado

Sempre que uma pessoa pesquisar no Google sobre determinado serviço de saúde, o site da sua unidade deve ser o primeiro a aparecer. Uma estratégia de SEO (Search Engine Optimization) permite aumentar a autoridade e posição no ranking dos motores de busca e reforçar a sua presença online. Um maior tráfego e captação de leads qualificados permitirá aumentar o número de utentes.

#3 – Marketing de conteúdo

Uma estratégia de Marketing de Conteúdo rico e de qualidade é essencial para atingir os seus objetivos. Dadas as limitações à publicidade, esta é uma excelente opção integrando todas as suas iniciativas numa estratégia de Inbound Marketing. É preciso saber comunicar com rigor conteúdo informativo, mas que seja ao mesmo tempo ser percebido pelo consumidor. O conteúdo de qualidade gera confiança. Esta estratégia irá ajudá-lo a engajar-se com os atuais utentes, conquistar novos e ajudar na subida do ranking dos motores de busca.

CONCLUSÃO:

Historicamente, o setor da saúde tem apresentado algumas resistências à implementação de estratégias globais de marketing digital. Atualmente, várias entidades estão a dar passos importantes para não serem ultrapassados pela concorrência, posicionando-se como a melhor escolha e criando laços de confiança profundos com os seus utentes.