Museu dos Media Digitais criado pela Adobe

 In Notícias

O Adobe Museum of Digital Media (AMDM) abre oficialmente no dia 6 de Outubro, um museu on-line destinado a apresentar e preservar trabalhos inovadores realizados em meios de suporte digital, inspirar ideias criativas e experimentação e também proporcionar um fórum para comentários especializados sobre a forma como os meios de suporte digitais influenciam a cultura e sociedade. O museu pode ser visitado em www.adobemuseum.com.

O museu apresentará programas e trabalhos em áreas tão diversas como as artes visuais, cinema, performance, design, arquitectura e meios sociais e contará com diversos curators e personalidades da cultura para desenvolver os conteúdos e os programas.

Este novo espaço traduzirá a missão dos museus tradicionais de preservar os mais elevados padrões em processos criativos e práticas de curated, que por sua vez serão apresentados num lugar digital, aproveitando ao máximo a interactividade, a inexistência de barreiras físicas, e a disponibilidade 24 horas por dia on-line, em todo o mundo.

O museu é o resultado da colaboração entre Piero Frescobaldi (co-fundador da unit9, uma empresa de produção digital sedeada no Reino Unido), Filippo Innocenti (fundador da empresa Spin+ do Reino Unido e professor de Tecnologia de Arquitectura na Universidade Politécnica de Milão), a Goodby, Silverstein and Partners (uma agência de publicidade de São Francisco) e a Adobe.

A exposição inaugural do AMDM será o mais recente trabalho do conhecido artista Norte-americano Tony Oursler, Valley, que explora a nossa relação com a Internet, enfatizada pelo humor grosseiro e cativante de Oursler. O título “Valley” é uma referência ao fascínio do artista pela teoria dos anos 70 do mestre da robótica Masahiro Mori, que combina as teorias de Jenstch e de Freud sobre “O Vale Inquietante” com o desenvolvimento de robots humanizados.

Masahiro Mori postulou que quanto mais as máquinas se assemelham a seres humanos reais, mais perturbadoras a nível psicológico se tornam. Por isso, Mori inventou a expressão “O Vale Inquietante”. Valley, o trabalho de Oursler, amplia e aprofunda esta teoria, para sugerir que a Internet, um espelho da consciência humana, está a aproximar-se rapidamente do Vale Inquietante. Nesta obra, o artista dividiu a Internet em 17 zonas interligadas, numa tentativa de enquadrar o sistema mercurial.

“Olhei para a Internet e para o que está a acontecer com ela neste momento – vírus e tudo, como a tecnologia entra nas nossas vidas, a forma como ela trabalha para nosso benefício, e como se tornou num produto de nós próprios,” afirmou Oursler. “Se o meu trabalho levar as pessoas a pensar sobre a forma como gastam o seu tempo na Internet e as obrigar a uma introspecção sobre o que esse tempo significa para elas, então este projecto será um sucesso.”

Valley convida o visitante a interagir com a obra numa plataforma virtual única, tornada possível graças à colaboração do artista com a equipa do AMDM. Oursler acredita que a plataforma online proporciona um afastamento espectacular e estimulante do modelo clássico de museu. O artista concebeu este projecto como forma de tirar partido das possibilidades de um novo tipo de relacionamento interactivo com o visitante, só agora tornado possível graças à Internet. 

Sendo um museu on-line, o AMDM está sempre aberto ao público global, de forma gratuita. Os visitantes podem inscrever-se gratuitamente como sócios, para beneficiar de vantagens especiais, incluindo antestreias e eventos exclusivos.

Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

0