Um estudo da Adobe indica que os utilizadores de tablets gastaram 21 por cento a mais por cada compra em 2011 do que quaisquer outros consumidores online, segundo as conclusões da primeira edição do relatório Adobe Digital Marketing Insights, concebido para fornecer informação crítica sobre marketing digital a executivos de marketing, comércio eletrónico e retalho.

O estudo avaliou o impacto dos dispositivos utilizados pelos consumidores nos seus comportamentos de compra em páginas Web de retalho. Neste estudo, um dos mais abrangentes do seu tipo, a Adobe analisou 16,2 mil milhões de visitas anónimas aos sites Web de mais de 150 retalhistas norte-americanos de topo.

Os resultados indicam que, durante o período de férias de 2011 e ao longo do ano, os visitantes que utilizaram tablets gastaram mais por cada compra do que aqueles que utilizaram smartphones, computadores e portáteis tradicionais. Isto sugere que os visitantes com tablets foram os mais valiosos clientes de 2011.

Os utilizadores de tablets gastam, por cada compra, 54 por cento mais do que visitantes com smartphones e mais de 21 por cento do que os visitantes com computadores e portáteis.

De acordo com o estudo, um utilizador de tablet tem tantas probabilidades de comprar bens e serviços online como um utilizador de computadores de secretária ou portáteis, e três vezes mais probabilidades de o fazer do que um utilizador de smartphones.

“A Adobe defende há muito tempo a necessidade de os retalhistas optimizarem os seus sites para os visitantes em mobilidade, e os resultados deste estudo indicam que os dispositivos tablet tornaram-se num novo e fundamental canal de vendas, para o qual os marketeers devem ter resposta imediata”, afirma Brad Rencher, vice-presidente sénior e director-geral de Digital Marketing Business da Adobe.

O perfil do utilizador dos tablets não é alheio a este resultado. De acordo com o estudo, são maioritariamente do sexo masculino, entre os 18 e 34 anos e poderão ter um nível salarial mais elevado. Utilizam os tablet mais ao fim-de-semana, uma altura em que poderá haver mais disponibilidade para as compras online.