dict: Big Data Analyst: A Sua Nova Profissão?A necessidade de cientistas ou analistas de dados ou Big Data Analysts poderá ser premente no futuro próximo, organizando a Universidade Portucalense (UPT) um seminário a 4 de Abril, no Porto, para alertar os seus alunos e profissionais sobre esta nova profissão e respetivo potencial. A inscrição no evento é gratuita.

Além de se apresentar como um dos ‘hypes’ mais fortes na indústria das Tecnologias de Informação e Comunicação, o ‘Big Data’ é, também, com grande probabilidade, um dos segmentos em que a procura de profissionais é mais forte, alerta o Departamento de Inovação, Ciência e Tecnologia (DICT) da UPT.

Este departamento recorda ainda que, só nos EUA, a previsão é de que, em 2018, poderá haver falta de entre 140 a 190 mil pessoas com profundas capacidades analíticas para explorar o potencial aberto pela disponibilidade de quantidades massivas de dados, complexos, heterogéneos e em tempo real.

“Desde os anos 60 que a gestão dos dados tem sido uma realidade e preocupação nas empresas. Um estudo da Oracle, de 2012, estimou que nesse ano fossem gerados 2,5 zettabytes (ZB) de dados, prevendo que em 2020 se atinja os 45 ZB”, alerta Filomena Castro Lopes do DICT.

Todo este enquadramento, sublinha o DICT, criará a necessidade de um novo profissional, um verdadeiro ‘Cientista de Dados’, que terá de deter uma formação completa em informática, estatística e organização e gestão.

“Entendemos que estes profissionais terão uma grande procura, tanto nos setores do Governo, Defesa e Investigação Científica, assim como nos diversos segmentos do setor privado da Economia, como a Banca, Telecomunicações, Retalho, Indústria Farmacêutica”, antevê a responsável do DICT.

Neste contexto, a UPT, tendo uma experiência e tradição consolidadas na área do Business Intelligence (BI) e na respetiva oferta formativa, assume-se como pioneira e irá organizar um Seminário nesta área emergente, reunindo os players mais relevantes, sejam fabricantes de tecnologia ou organizações portuguesas que estão a implementar soluções concretas de ‘BIG DATA’.

“Por um lado, queremos sensibilizar os alunos e profissionais para a forte probabilidade de ser este um dos segmentos das TI em que a procura de profissionais será mais forte e, por outro, dar a conhecer ao mercado as ferramentas e soluções mais avançadas que os fabricantes e as organizações estão a implementar a um ritmo crescente de forma a explorar o potencial aberto pela disponibilidade de volume, variedade de dados e necessidade de velocidade de acesso aos mesmos.”, conclui Filomena Castro Lopes.